Informação precisa de ponta a ponta

Voltar
29 de Outubro de 2019

Mercosul deve concluir acordos com Canadá, Coreia e Cingapura em 2020

O Secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Lucas Ferraz, informou nesta segunda-feira que o Mercosul deve concluir até o fim do ano que vem acordo comerciais com Canadá, Coreia do Sul e Cingapura. Ferraz detalhou ainda que o bloco deve iniciar negociações para o estabelecimento de acordos de livre comércio com Estados Unidos, México, Japão e Vietnã no primeiro semestre de 2020.

Ferraz fez as afirmações no Seminário do Brics sobre Governança de 2019, que acontece no Rio de Janeiro, com a presença de autoridades dos países membros do grupo: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Ferraz disse que o calendário de acordos faz parte da agenda comercial "muito ambiciosa" do governo brasileiro, e afirmou que o país faz esforços para modernizar o bloco sul-americano.

Em sua fala em discurso no evento, proferida em inglês, ele não citou proposição de cortar à metade a Tarifa Externa Comum (TEC) do bloco.

A TEC é o imposto de importação cobrado de bens de terceiros países para entrar nos territórios de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. O Valor mostrou neste mês que simulações sobre o assunto já foram apresentadas aos demais países que integram o Mercosul.

Como exemplos de sucesso da agenda de comércio exterior do governo brasileiro, Ferraz citou o desfecho do acordo comercial com a União Europeia após 20 anos de negociações e a atualização do acordo automotivo com a Argentina, que prevê o livre comércio de peças e veículos até 2029.

Um dos principais negociadores do Brasil no Mercosul, Ferraz observou que a nova conjuntura do comércio exterior, marcada por abordagens unilaterais e protecionistas, rebaixou a expectativa de crescimento da economia global. Mas, na análise do secretário, podem ter seus efeitos atenuados pelo avanço da governança dentro de blocos como os BRICS.

Nesse sentido, disse que a troca de serviços têm crescido mais rápido que o comércio de bens, embora o ônus fiscal sobre serviços seja menor, o que pressupõe a necessidade de um olhar atento à revisão de marcos regulatórios nesse campo.

Em sua fala no evento, ele também disse que, com a revolução digital, a destruição de postos de trabalho tem sido mais acelerada que o surgimento de novas funções, o que exige políticas de emprego de curto prazo, sem explicitá-las.

Ao fim do discurso, Ferraz defendeu negociações multilaterais, a cooperação dentro das regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) e a participação do Brasil em debates dentro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e do G20. Ele disse que a recusa do Brasil a participar desses foros “não terá como resultado a retomada do crescimento, a geração de mais empregos ou a redução da pobreza”.

De: Valor Econômico
Por: Gabriel Vasconcelos, Valor - Rio

Todos direitos reservados aos responsáveis do site citado.
Disponível em: https://valor.globo.com/brasil/noticia/2019/10/28/mercosul-deve-concluir-acordos-com-canada-coreia-e-cingapura-em-2020.ghtml | Acesso em 14/10/2019 às 16h38

Notícias relacionadas

Leia Também

14 de Fevereiro de 2020
China cortará tarifas pela metade em importações dos EUA


22 de Novembro de 2019
Brasil assina ARM com Mercosul e China


24 de Outubro de 2019
Novo processo de importação do Comércio Exterior brasileiro


Sua cotação mais rápida, fácil e segura!